sexta-feira, 2 de março de 2018

Parte I
Onde estarão os trophéos da extincta Brigada Militar? (escrita da época)

   Depoimento interessante do ex-chefe de Policia dr. Eduarado Chermont, que confessou ter recebido os objectos sem saber a quem os entregou. – Os botões do fardão do Sr. Barata serão do ouro dos trophéos?
   Presidido pelo dr. Salvador Borborema, 3.º delegado auxiliar, proseguiu na Policia Civil o inquerito mandado instaurar para apurar responsabilidades no desapparecimento dos trophéos pertencentes á extincta Brigada Militar do Estado.
    Objectos de alto valor material e estimativos, era de suppor-se que os mesmos estivessem a salvo de qualquer acção criminosa, como o descaminho inexplicavel que tomaram.
     Logo após a Victoria da revolução, foram esses objectos retirados pelo sr Eduardo Chermont, da Chefia da Policia, da sala do commnando da Brigada, no edificio do Palacio do Governo, no local onde está instalada actualmente a Diretoria de Saude.
     Legalisando esse acto e a fim de resguardar a responsabilidade que no caso pudesse ter o então director da Saude, dr. Mario Chermont, o dr. Eduardo Chermont, na qualidade de Chefe de Policia, dirigiu-lhe um officio, communicando ter recebido os referidos objectos e que os enviara á Diretoria de Fazenda, de que era director o dr. Clementino Lisbôa, actual deputado federal.
   O inquerito, que prosegue na Policia, até agora nada esclarece, segundo estamos informados, pois, que o depoimento principal, que é o do dr. Eduardo Chermont, não traz nenhuma luz ao caso.
     Ao que sabemos, do depoimento do ex-chefe de Policia constam declarações dizendo não se recordar a quem fez entrega de tão valiosas reliquias conquistadas pela extinta Brigada Policial do nosso Estado.
  Além do dr. Eduardo Chermont já prestou seu depoimento á Policia o tenente-coronel Alberto Odorico de Mesquita, commandante do Regimento de Cavallaria.
   Conta que após a Victoria do movimento revolucionario foi preso, tendo assumido o commando o tenente Luiz Moura Carvalho, sendo certo que os trophéos lá ficaram.
   Amanhã deverão ser ouvidos o tenente Bartholomeu Gonzaga da Igreja e o major Aguiar, os quaes, segundo se diz, assistiram o dr. Eduardo Chermont retirar os objectos referidos do quadro em que se encontravam.
   Sabemos que os officiaes da Força Publica estão interessados na descorberta dos ricos trophéos, cuja avaliação approximada, pelo cambio actual, importa em cerca de 400 contos de réis, segundo ouvimos.
     Ha quem presuma que os botões de ouro da celebra farda de gala do sr. Barata tenham sido confeccionados com o ouro dos cartões que faziam parte dos objectos desviados e não com o ouro do Gurupy.
     Esse assumpto bem poderia ser esclarecido pelo ourives ou joalheiro que confeccionou.
     Entretanto, quem foi elle? Até agora não se sabe.
     Tambem desappareceram do commando os livros de carga da Brigada. (escrita da época)
Fonte: Jornal Folha do Norte, pag. 01 de 25 FEV 1936 – Biblioteca Artur Vianna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DECRETO N. 1.683 - DE 06 DE JUNHO DE 1935           O Governador do Estado do Pará,     Considerando que o Estado do Pará necessita d...