quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Distintivo da Companhia de Rádio Patrulha

Foto 1: brasão da CIRP/PMPA
O policiamento ostensivo realizado pela Polícia Militar a partir dos anos de 1960 começou a conjugar o policiamento motorizado com o uso do equipamento de rádio comunicação, o que permitia que as viaturas policiais pudessem se comunicar entre si e com uma central de rádio, a priori instalada no quartel.
Como a necessidade de disponibilizar à população um meio de acionamento rápido da Polícia Militar foi estabelecido que a discagem em aparelhos residenciais ou públicos do número "190" fosse o de atendimento policial. Assim surgiu o serviço de radiopatrulhamento que acomplou: chamada telefônica, uma central de recepção (via telefone) de ocorrências, uma central de despacho de ocorrências (via rádio), um certo número de viaturas em ronda nas ruas.
Foto 2: manicaca da OPM
Assim, o serviço necessitou que fosse criada uma unidade policial militar para prestar esse atendimento. Surge então a Rádio Patrulha, Companhia Independente de Rádio Patrulha (CIRP) que foi extinta, em Belém, nos anos de 1999/2000.
Da Rádio Patrulha têm-se alguns vestígios como é o caso da braçadeira utilizada pelos policiais militares que atuavam nas viaturas, bem como a manicaca da unidade.
Tais objetos foram doados ao Museu da Polícia Militar do Pará, que funciona provisoriamente no Comando Geral da Corporação, na Rodovia Augusto Montenegro, km 09, 8401, bairro do Parque Guajará, no Salão Nobre do Comando Geral, que abriga o Memorial Orvácio Deolindo da Cunha Marreca, inaugurado pelo Exmº Sr. Governador do Estado, Dr. Simão Jatene.

Doações e contatos:
Email: <historia@pm.pa.gov.br>
Fone: 3115-5950
91 9 8500-7335

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Boletins Gerais de 1964 no site da PMPA

O ano de 1994 foi marcado internacionalmente pela condenação de Nélson Mandela, na África do Sul, em junho, à prisão perpétua por diversa...